• bukone

Entenda as diferenças entre os tipos de processadores de computador

Um processador ou CPU (Unidade Central de Processamento) nada mais é do que um microchip que tem como função a preparação, resolução, aceleração e endereçamento de dados. Ele é o equivalente ao cérebro do seu computador e busca responder o volume de dados processando as informações com base nas instruções que foram armazenadas anteriormente em sua memória interna.

Como é uma parte fundamental de uma máquina, é muito importante que você conheça os tipos de processadores de computador existentes antes de se aventurar com algum modelo específico. Assim, você vai encontrar neste texto algumas dicas de aplicações para os diferentes modelos, quais as principais diferenças entre eles e como escolher o correto para as suas necessidades.

Então, continue a leitura e saiba tudo sobre o assunto.

Quais são os aspectos principais dos processadores de computador?

Existem diversos parâmetros pelos quais se pode avaliar e categorizar um processador. Normalmente, com relação ao preço de mercado, são divididos entre produtos de entrada, medianos e de alto desempenho, com variação nas nomenclaturas dependendo da fonte. Além disso, cada um tem velocidade de processamento, economia e capacidades diferentes, ficando a critério do comprador avaliar qual a sua necessidade. Por isso existem tantas dúvidas sobre o tema.

Entretanto, uma vez que você pega o jeito, as escolhas ficam mais fáceis. Por exemplo, existe uma lógica por trás dos nomes dos processadores de computador que, após algum tempo, fica um pouco mais evidente. Os mais comuns são os da Intel, particularmente da linha Intel Core e os números indicam exatamente aquilo que se pode imaginar: uma sequência crescente de capacidade de processamento. Veja abaixo!

Intel Core i3

O modelo mais básico da linha Core é o i3, que se configura como ideal para a execução de tarefas mais básicas como trabalho leve de escritório, acessar à internet, assistir vídeos, responder a e-mails e usar o pacote Office. Se você não tem muitas exigências no seu dia a dia ou não sabe por onde começar, esta é uma boa escolha.

Normalmente, esse modelo conta com quatro núcleos, o que significa, simplificadamente, mais capacidade de processar tarefas ao mesmo tempo. Além de serem mais baratos, têm consumo elétrico baixo e usam uma tecnologia chamada hyperthreading, que utiliza os recursos do processador de forma mais eficiente, otimizando o desempenho geral do computador. Portanto, tem o melhor custo-benefício de todos da “família”.

Intel Core i5

É o representante mediano da linha Core da Intel, mas, apesar disso, é considerado um processador de alto desempenho porque atende as necessidades de grande parte dos usuários. Utilizado tanto em escritórios quanto em residências, ele é capaz de rodar sem problemas a maioria dos jogos modernos e alguns programas de edição mais pesados.

Existem várias versões do modelo, mas a principal diferença para o i3 é a tecnologia TurboBoost, que faz com que o processador trabalhe em uma frequência maior, ou seja, aumenta a velocidade da CPU. Assim, têm um custo mais elevado que seu irmão menor, mas fornece mais desempenho para tarefas mais pesadas.

Intel Core i7

O i7 é considerado o mais potente da linha Core e é usado mais pelos gamers e profissionais de edição de imagens. O foco do modelo está no desempenho e têm várias versões com configurações diferentes para atender a todas as necessidades de processamento. Ainda, todas elas apresentam o hyperthreading e TurboBoost dos modelos anteriores.

Por isso, se você gosta de jogar games no seu computador e trabalha com softwares pesados, o i7 certamente deve suprir as suas necessidades. Além disso, o diferencial desse processador é que conta com uma quantidade maior de cache, que funciona como um “reservatório de memória” para que o tempo de espera para realizar uma ação diminua. Ou seja, quanto maior o cache, melhor.

Intel Core i9

Este modelo foca em produzir processadores voltados para estações de trabalho ou workstations que precisem de muito “poder de fogo”. Programas de arquitetura e engenharia, por exemplo, exigem qualidade e desempenho superior. Além disso, videomakers, pesquisadores e quem gosta de jogos em 4K têm no i9 o companheiro certo.

A série conta com até 18 núcleos e tem suporte para todos os componentes de última geração necessários para acompanhar o processador em uma máquina de respeito. Porém, a quantidade de pessoas que se beneficiariam com um computador tão potente assim é muito reduzida. Além disso, seu custo é elevado para a esmagadora maioria dos usuários comuns.

Qual geração devo escolher?

Apesar da lógica numérica que envolve os membros da família Core da Intel, dentro de um mesmo modelo existem diversas versões e gerações disponíveis no mercado, principalmente se você considerar os usados como uma opção. Então, como levar para casa um produto mais novo que pode ter vida útil maior?

A resposta para essa pergunta está também no próprio nome dos modelos. A fabricante iniciou a linha há dez anos. Desde então já são dez gerações dos processadores. A geração à qual pertence o modelo é identificada pelo primeiro número da sequência logo após a linha básica. Por exemplo, um Intel Core i3-6XXX pertence à sexta geração, e assim por diante.

Entretanto, existem algumas letras chamadas de sufixos, que são colocadas após os números para diferenciar os processadores de computador e indicar suas características mais marcantes além dos dados do modelo. Assim, letras como U, Y e T dizem respeito à economia de energia; enquanto a letra Q representa o número de núcleos (quatro); a H indica uma Unidade de Processamento Gráfico (GPU) integrada; e K significa que o modelo vai além da sua velocidade pré-determinada. Ainda, a ausência dessas letras indica um modelo padrão.

Existe diferença entre PC e notebook?

Assim como uma moto e um carro te levam ao mesmo destino, um desktop ou computador de mesa é diferente de um notebook. Entretanto, as principais diferenças estão na funcionalidade. Nos PCs, não existe limitação de bateria, por exemplo, mas sim falta de mobilidade como em um notebook. No caso destes, o consumo de energia é bem menor.

Outra diferença importante é que o design dos componentes é diminuto nos laptops, por isso a potência de um computador de mesa teoricamente é maior. Da mesma forma, o notebook esquenta menos e faz menos barulho.

Tendo tudo isso em mente fica muito mais fácil escolher processadores de computador. Mas você deve levar em consideração algumas coisas como a compatibilidade com outros componentes da máquina e ficar de olho na geração e modelo do seu novo “cérebro”. Além disso, a sua necessidade de uso deve estar sempre em mente, por exemplo, se o PC for para uso doméstico ou comercial.

E aí, gostou deste texto? Que tal conhecer agora 4 dicas de como escolher o computador ideal para empresas?

2 visualizações0 comentário